Utilizando corretamente os faróis de milha e neblina

Inúmeros condutores de veículos automotores desconhecem as finalidades das lanternas de neblina, dos faróis de neblina e os de milha. Alguns acreditam que podem ser utilizados durante o dia, outros que podem utilizar o farol de neblina no lugar do farol baixo e quase a totalidade dos condutores não conhecem as diferenças entre um e outro farol. Também é comum avistarmos condutores que utilizam-se das lanternas de neblina em noites de tempo bom.

Ocorre que nestes casos os condutores que utilizam indiscriminadamente estes dispositivos acabam por cometerem infrações de trânsito e prejudicam a visão dos demais condutores e até dos pedestres que eventualmente precisam cruzar uma via publica. Para entendermos melhor a correta finalidade de cada dispositivo precisamos consultar a Resolução 227/07 do CONTRAN que estabelece os requisitos de cada item.

Farol de neblina – De acordo com o ANEXO 1 da referida norma o “Farol de neblina dianteiro” é o farol utilizado para melhorar a iluminação da via em caso de neblina, nevasca, tempestade ou nuvem de poeira. Devem estar aposicionados o mais próximo do solo (instalados junto ao pára-choque dianteiro), um farol em cada extremidade frontal do veículo. Sua utilização deve sempre ser realizada em situações descritas acima sendo vedada a utilização apenas do farol de neblina durante a condução do veículo, haja vista o CTB (Código de Trânsito Brasileiro) exigir a utilização do farol baixo durante a noite. Apesar de seu uso indiscriminado, em virtude do facho de luz possuir pouca amplitude, iluminando basicamente o solo (serve para destacar os dispositivos refletivos instalados no solo de uma via publica e desta forma delinear o trajeto do veículo), sua utilização não causa incômodo aos demais motoristas.

Farol de milha – O farol de milha, de acordo com a Resolução 227/07 do CONTRAN é um farol adicional, de facho de luz concentrado e de alta intensidade, semelhante ao farol de luz alta, destinado a auxiliar a iluminação, à distância, à frente do veículo. Os faróis de longo alcance devem cumprir os mesmos requisitos gerais exigidos para os faróis de luz alta e somente poderão entrar e permanecer em funcionamento quando estiverem acionados os faróis principais de luz alta. O farol de milha incomoda bastante a visão dos demais condutores e seu uso indiscriminado pode resultar em infração de trânsito, previsto no CTB. Em virtude de estarem instalados, quase que sempre, junto ao para-choque, é confundido com faróis de neblina justamente por sua posição.

Lanternas de neblina – Outro dispositivo que chama a atenção pos seu uso indiscriminado é a lanterna de neblina. A norma do CONTRAN descreve o dispositivo como uma lanterna utilizada para tornar o veículo mais facilmente visível, pela traseira, em caso de neblina densa. Se existir somente uma lanterna de neblina traseira ela deve estar no lado oposto ao lado previsto para a circulação do tráfego, isto é, no lado direito do veículo. A lanterna de neblina traseira só pode ser ligada, se os faróis alto, baixo ou faróis de neblina dianteiros estiverem ligados, respeitando as condições climáticas no que se referem a neblina densa ou forte chuva, em virtude de sua alta intensidade de luz. Seu uso indiscriminado causa incômodo aos motoristas que eventualmente trafegarem atrás.

Infrações descritas no CTB
O CTB (Código de Trânsito Brasileiro) estabelece sanções administrativas aos condutores que deixam de utilizar ou utilizam de forma errônea o sistema de iluminação. Acompanhe abaixo a descrição de cada infração que um condutor pode incorrer referente à iluminação do veículo:

Artigo 223. Transitar com o farol desregulado ou com o facho de luz alta de forma a perturbar a visão de outro condutor:

Infraçãograve;
Penalidademulta;
Medida administrativaretenção do veículo para regularização.

Esta infração se aplica aos condutores que utilizarem-se de faróis alto ou de milha de forma indiscriminada, atrapalhando a visão dos demais condutores.

Artigo 250. Quando o veículo estiver em movimento:

I – deixar de manter acesa a luz baixa:

a) durante a noite;

b) de dia, nos túneis providos de iluminação pública;

c) de dia e de noite, tratando-se de veículo de transporte coletivo de passageiros, circulando em faixas ou pistas a eles destinadas;

d) de dia e de noite, tratando-se de ciclomotores;

(…)

Infraçãomédia;

Penalidademulta.

Neste caso, a utilização do farol de neblina em substituição ao farol baixo representa infração de trânsito. O farol de neblina não possui o mesmo alcance do farol baixo dando a falsa impressão de visibilidade ao condutor.

O CONTRAN publicou a Resolução 18/98 em que se recomenda o uso dos faróis baixos durante o dia, para facilitar a visualização do veículo e percepção dos demais condutores. Acompanhe a matéria em http://mundotransito.com.br/index.php/2011/08/25/por-que-usar-o-farol-baixo-durante-o-dia/.

Pin It

7 comentários em “Utilizando corretamente os faróis de milha e neblina

  1. O Farol de neblina é de longo alcance? os corretos pela lei? o meu tem um alcance limitado e é mais focado pro chao… Mais tem pessoas q usam nos de neblinas forte luzes ajudando na visao noturno queria , que o meu fosse assim, pois apenas usando farol baixo sinto dificuldade de visao ao dirigir a noite… Mais esse que eu citei que tem o farol de neblina com alta potencia é totalmente irregular ne iisso?

  2. Tiago, leia a matéria e terá a resposta. Farol de neblina, curto alcance, facho apontado para o chão. Farol de milha, longo alcance, parecido com a luz alta do veículo.

  3. Hugo Lopes Galvão 15 de outubro de 2012 at 11:23 -

    Gostaria de saber qual a penalidade que está no código de trânsito ao usar o farol de neblina usando as luzes xenom.

  4. A iluminação xenon só é permitida para os veículos cujo dispositivo é original do fabricante do veículo, por isso alguns veículos importados e veículos nacionais de luxo possuem o referido dispositivo. Nos demais veículos, a substituição do equipamento pelo xenon é infração de trânsito com base no artigo 230 inciso VII do CTB (Alteração de característica). Aos proprietários que queiram utilizar o sistema xenon instalando os farois de neblina (nos veículos que possuem dispositivo de neblina original ou não possuem instalado este dispositivo) a Resolução 384/11 do CONTRAN proíbe a instalação do sistema xenon em veículos fabricados originalmente sem este dispositivo.

    Ricardo José
    Administrador Mundo Trânsito

  5. E lembrando que o xenon, o original de fábrica, é sempre instalado no farol principal e nunca no farol de neblina.

  6. Ivanildo Cavalcanti Timóteo 17 de dezembro de 2012 at 0:43 -

    Gostei bastante da matéria do Mundo Trânsito sobre a utilização correta dos farois de milha e neblina, pois conhecide com o meu pensamento e indignação sobre o assunto quando trafego a noite pelas ruas de Maceió-Al. A cada três ou quatro veículos que trafegam em sentido contrário um está com os farois de neblina ligados e sem contar, os que estão atras e refletem pelos retrovisores um excesso de luz que incomodam e ofuscam a quem está dirigindo e tambem aos pedestes. Espero que as autoridades de transito lancem campanhas de esclarecimento e educação e posteriormente que venham punir estes infratores, pois a final estes procedimentos são condenados pela código de transito brasileiro.

    Ivanildo Cavalcanti Timóteo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


4 × = vinte

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>