Série de acidentes brutais chocam a sociedade

Nos últimos meses a sociedade acompanhou pela imprensa, uma série de acidentes de trânsito brutais envolvendo motoristas alcoolizados, que acabaram na morte de inúmeras pessoas inocentes. Às vésperas da Semana Nacional do Trânsito, homens, mulheres e crianças foram vítimas de sinistros onde os causadores apresentavam claros sinais de embriaguez. Os acontecimentos colocam em xeque a capacidade de intervenção do Estado, que perante o clamor publico, precisa aumentar a fiscalização contra estes condutores. Por outro lado, frente o clamor por punições mais severas contra estes motoristas, a sociedade assistiu atônita, a decisão do Supremo Tribunal Federal, onde abrandou a pena contra um condutor, acusado de atropelar e matar um pedestre, no interior de São Paulo.

O Brasil, recentemente assinou um tratado de intenções com a ONU (Organização das Nações Unidas), com objetivo de diminuir os índices de acidentes e mortes no trânsito, nos próximos 10 anos. Entretanto, apesar dos esforços iniciais do Governo Federal, vislumbramos um cenário caótico no trânsito, com um Código confuso que apresenta brechas para a impunidade dos infratores. Mesmo na Justiça, entre os magistrados, não há um consenso quanto à aplicabilidade da Lei. Alguns juízes defendem um maior rigor no tratamento dos infratores de trânsito, outros acreditam que esta não é a saída. Para piorar o cenário, os ministros do STF julgaram que mortes provocadas por motoristas embriagados devem ser tratadas como Homicídio Culposo (sem intenção de matar), abrindo um precedente perigoso para futuras decisões judiciais.

Em meio a este cenário confuso de Leis que deixam brechas e punições inexistentes, o país é mergulhado em uma onda de acidentes e mortes. A lista de pessoas mortas ou feridas no Brasil, em virtude de motoristas embriagados, é extensa dando a sensação de total impunidade e abrindo caminho para novas ocorrências do gênero. Acompanhe abaixo algumas ocorrências que ganharam destaque na mídia e geraram revolta na sociedade, que clama por uma justiça mais severa.

A advogada Bruna Baltresca, morta junto com sua mãe, após atropelamento em SP

Miriam Afif José Baltresca e Bruna Baltresca
Mirian e Bruna Baltresca, mãe e filha, foram violentamente atropeladas por um carro desgovernado, no dia 17 de setembro, na Capital paulista. Elas caminhavam pela calçada, após saírem de um shopping Center, quando o veículo, dirigido por Alexandre Martins, de 33 anos, atingiu as duas. Mirian morreu na hora e Bruna ainda chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo no hospital. O motorista, segundo policiais militares, apresentava sinais de embriaguez, e recusou-se a soprar o bafômetro. Ele foi preso em flagrante por Homicídio Doloso (com intenção de matar). Recentemente Rafael Baltresca, filho de Miriam, lançou uma campanha nacional para que as leis sejam mais duras para quem dirige embriagado. Acompanhe abaixo o site nãofoiacidente.com.br;

http://www.naofoiacidente.com.br

Acidente com motorista bêbado deixa motociclista em estado grave
Um motorista angolano, de 42 anos, trafegando em alta velocidade, segundo testemunhas, passou no sinal vermelho na Avenida José Diniz, no Campo Belo, e atingiu a professora Luci Mary Soares Rivelli, de 44 anos. Com o impacto a professora quebrou uma perna, fraturou o nariz e machucou os dois braços. No exame do bafômetro, realizado pela polícia, foi constatada a embriaguez. O índice registrado pelo aparelho foi quase seis vezes maior que o permitido. O acidente ocorreu no dia 19 de setembro. O angolano foi autuado por Lesão Corporal Grave.

Motorista de 69 anos causa acidente do RJ
Um motorista embriagado, de 69 anos, foi conduzido para uma delegacia do Rio de Janeiro, após envolver-se em um acidente na Via Dutra. A Polícia Rodoviária Federal apurou que o motorista havia trafegado por quase três quilômetros com o pneu dianteiro direito de seu carro estourado. Ele seguiu nesta condição desde a Avenida Brasil até a Dutra, quando o aro, já totalmente destruído, impossibilitou o controle da direção e acabou colidindo, vitimando quatro pessoas, entre elas uma mulher de 84 anos. O motorista foi preso em flagrante por embriaguez ao volante e pagou fiança de R$ 1100,00 para ser liberado.

Páginas: 1 2

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


8 − seis =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>